segunda-feira, 28 de junho de 2010

Emocional é o C******

Nada disso era emocional. Minha mãe não está sofrendo na maca do hospital vitimada por uma doençca terminal, meu namorado de anos o qual sou loucamente apaixonada não terminou comigo - esse cara não existe, não cometi um aborto recentemente e por isso não me puno diariamente por me considerar uma sanguinária assassina. Tenho um emprego que eu amo e me motiva, mas que me estressa, me faz chorar às vezes de raiva e frustração e por acúmulo de atividades (mas se você não trabalha na câmara dos deputados, você sabe do que estou falando e sabe que já passou e passa por tudo isso eventualmente). Não ganho uma fortuna, mas ganho o suficiente para comprar roupas baratas, comidas caras e ter uma poupança humilde. Sou relativamente bem-resolvida e minha auto-estima é saudável - sou medianamente bonita, inteligente dentro dos padrões e agradável dentro das relações pessoais quando não estou de tpm. Meu lar é tranquilo e fraterno, minhas amizades são escassas mas são valiosas e não tenho um namorado mas isso definitivamente não me afeta de maneira importante - a não ser quando está muito frio e eu quero dormir enroscada em alguém.
Quer dizer, eu tinha alguns problemas de cunho existencial (apenas os animais, os seres inanimados e os patologicamente alienados não os tem, certo?), mas ainda sim eu poderia me considerar feliz. E aí, vem essa dermatite terrível e sem diagnóstico (após a realização de 25 exames)e todos os médicos no auge da incapacidade de me indicar tratamento e cura, me dizem que é emocional. Tudo que eu tenho a dizer é: emocional é o csralho. E olha que eu só falo palavrões mentalmente, mas é muita raiva e eu não consigo me conter. Eu sei o que é depressão e angústia desesperada e estresse da cabeça aos pés. Sim, eu sei exatamente o que são e o que fazem comigo, e sei, portanto, que meu problema não é de fundo emocional porque eu não tenho nenhum sofrimento mental relevante neste momento e todos vocês sofrem da incapacidade de diagnósticar e tratar problemas um pouco mais complexos que acne na adolescência.
Mas sabe, se nada disso tinha como causa primária a questão emocional eu posso garantir que agora tem. Porque estou de fato infeliz, desesperançosa e frustrada e sem auto estima e com muita vontade de fugir de tudo e fingir que eu não tenho uma pele enfestada de feridas, tudo não é mais do que passageiro e amanhã eu vou ter uma noite de sono saudável, uma banho saudável, uma roupa que não me incomoda, a nada que arde, doi e machuca. E vou inclusive colocar uma blusa sem mangas e uma saia para exibir por aí a minha sanidade dermatológica. E eu não vou precisar ir de médico em médico e de farmácia em farmácia e de laboratório em laboratório e ver minha esperança e minha vontade de viver se esvaindo todas as vezes que eu concluir que a busca pela resposta e pelo tratamento são em vão. Mas muitas vezes eu não consigo me alienar o suficiente e me deparo com minha realidade e a constante falta de soluções que está em torno de tudo isso.
Então, tudo bem. Pode colocar no prontuário que é emocional. Porque vocês, senhores médicos, consiguiram transformá-la em resultado de somatização e se livraram do ardoroso trabalho de me tratar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário